15/02/2021 às 09h09min - Atualizada em 15/02/2021 às 09h09min

Mato Grosso do Sul espera novas doses da vacina para a próxima semana

Secretário de Estado de Saúde avalia que é possível que outro lote da Coronavac chegue a Mato Grosso do Sul a partir de segunda-feira (22)

Correio do estado
VACINAÇÃO. Em Campo Grande, doses foram aplicadas em drive-thru; cronograma terminou no sábado - Foto: Alvaro Rezende
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) espera que a partir de segunda-feira (22) o Ministério da Saúde encaminhe a Mato Grosso do Sul novo lote da vacina contra a Covid-19 feita pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac, a Coronavac. O imunizante, porém, ainda não tem data definida para ser entregue.

“A partir de segunda-feira, acreditamos que deve haver contato para envio de um novo lote, que deve ser da Coronavac. Mas esperamos também que o Ministério nos diga quando vem o próximo lote da vacina de Oxford. Aqui no Estado, a vacinação está em ritmo acelerado e gostaríamos que o governo federal imprimisse uma velocidade maior na distribuição dessas vacinas, para diminuir nossa angústia”, afirmou o secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende.

O secretário falou também que, além da cobrança feita ao Ministério da Saúde, a Pasta está dialogando com o Instituto Butantan e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Até lá, a gente está reforçando para os municípios terminarem de aplicar as doses que receberam”.

Segundo Resende, muitos municípios já chegaram a imunizar até 70% do público-alvo nessa primeira fase da distribuição, que engloba profissionais de saúde, idosos institucionalizados, indígenas e idosos até 80 anos. Conforme dados do Vacinômetro de Mato Grosso do Sul, o Estado já aplicou 60% das vacinas destinadas à primeira dose.

Entre os grupos prioritários, trabalhadores da saúde correspondem a 62% do público imunizado, 115,9% são de idosos institucionalizados, 217,5% de deficientes em instituições, 65,7% de indígenas e 51% de idosos acima dos 80 anos.

“Mato Grosso do Sul tem mostrado eficiência e organização na aplicação da vacina, mas ainda não temos em quantidade suficiente para imunizar toda a população que precisa, se tivesse, íamos disputar a primeira colocação na distribuição dessas vacinas, contamos com uma grande contribuição do [Distrito Sanitário Especial Indígena] Dsei, mas nos falta vacina”, salientou Resende.

Boa parte dos municípios do Estado estão na faixa de 60% das doses aplicadas, segundo o Vacinômetro. Para o secretário, na próxima semana, as cidades já terão alcançado a meta, que é vacinar 90% dos grupos prioritários dessa primeira fase.

PEDIDO AO STF
Para tentar acelerar a vacinação, Mato Grosso do Sul apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma petição para compra da vacina russa Sputnik V. A ideia do governo do Estado é adquirir de 500 mil a 1 milhão de doses do imunizante. O pedido foi feito na semana passada, mas até agora não houve resposta.

“Estamos na expectativa, se tiver, nós vamos comprar para imunizar os idosos, profissionais da educação e da segurança pública. Fico angustiado com esse ritmo de vacinação, porque poderíamos estar vacinando os idosos, que são o público de maior risco e os que mais estão aderindo à campanha, quem dera se tivéssemos a mesma adesão na população de modo geral”, reclamou o secretário.

Além de Mato Grosso do Sul, outros sete estados brasileiros, Bahia, Piauí, Espírito Santo, Paraíba, Sergipe, Maranhão e Pernambuco, apresentaram petições para a aquisição da vacina desenvolvida na Rússia, mas que ainda não foi aprovada para uso no País pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Caso consiga a compra, a campanha de imunização contra a Covid-19, que tem previsão de durar o ano ato e até parte de 2022, pode ser encerrada até julho deste ano, com todos vacinados.

CAMPO GRANDE
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), até a sexta-feira (12), aproximadamente 30 mil pessoas haviam tomado a primeira dose da vacina contra a Covid-19, entre idosos com mais de 80 anos, trabalhadores da saúde, acamados e pessoas institucionalizadas. 

A segunda dose começou a ser aplicada na quarta-feira (10) em quem trabalha na saúde e nos moradores de instituições e asilos.

O calendário para aplicação das doses em idosos acima de 80 anos terminou no sábado (13) e a Pasta espera novas doses para abertura para outros públicos, conforme informou o secretário municipal, José Mauro de Castro Filho.

“A abertura para novos públicos depende do recebimento de mais doses. Como ainda não temos essa previsão, nossa atenção é voltada para quem já tomou a primeira dose e não pode perder o prazo da segunda”, disse Castro, por meio de sua assessoria. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco
FALE COM A EQUIPE NAVIRAÍ NA NET
Envie sua sugestão, reclamação e denúncia.