20/05/2020 às 10h13min - Atualizada em 20/05/2020 às 10h13min

Vídeo: ‘ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado coronavírus’, diz Lula

Em entrevista polêmica, o ex-presidente disse que a pandemia mostra que "apenas o Estado é capaz de resolver determinadas crises"

MidiaMax
O ex-presidente Lula (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em uma polêmica entrevista transmitida nessa terça-feira (19), pela revista Carta Capital, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou o surgimento da pandemia de coronavírus – que já matou mais de 325 mil pessoas no planeta -, afirmando que só assim os “cegos começam a enxergar que apenas o Estado é capaz de sair solução a determinadas crises”.

Na conversa com o jornalista Mino Carta, Lula defendeu que a crise global tem como impacto positivo o enfraquecimento de teses defendidas por adeptos à agenda do liberalismo econômico, que defende interferências quase nulas do Estado na economia.

“Eu, quando eu vejo os discursos dessas pessoas falando… Quando eu vejo essas pessoas acharem que tem que vender tudo que é público e que tudo que é público não presta nada… Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o estado é capaz de dar solução a determinadas crises”, afirmou o petista, comparando o momento atual com aquele atravessado em 2008, com a crise financeira global causada pela quebradeira de bancos nos Estados Unidos.

O Ministério da Economia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), chefiado por Paulo Guedes, tem frisado a importância de se considerar a situação da dívida pública ao passo em que o Congresso discute medidas para atenuar os efeitos da pandemia no País. Guedes defende, por exemplo, que governos de estados e municípios congelem o salário de servidores como contrapartida para uma ajuda financeira da União. Ele ainda defende que a retomada da economia deve ser puxada pela iniciativa privada.

Na entrevista, Lula usou como exemplo a atuação do presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt, durante a Segunda Guerra Mundial, para defender seu ponto. “Imagina quando Roosevelt teve que agir na guerra. Você acha que ele estava preocupado com orçamento? Não! Ele tinha que fazer armas para vencer a guerra. Na guerra contra o coronavírus, eles não cumprem sequer a promessa de dar R$ 600 reais para as pessoas ficarem em casa e se protegerem”, disse.

Presidência

Sobre uma possível candidatura à presidência em 2022, Lula lembrou terá 77 anos nas próximas eleições e que “não tem porque ser candidato a presidente”, uma vez que já esteve nesse papel. O petista ponderou, no entanto, que pretende atuar politicamente para “não deixar o país voltar a ter um presidente da ‘qualidade’ do Bolsonaro”.

Após um ano e sete meses de prisão, em decorrência de uma condenação em um processo que corre no âmbito da Operação Lava-Jato, Lula foi solto em novembro do ano passado. Ele tem feito oposição a Bolsonaro em declarações públicas e sustenta que sua prisão foi fruto de um conluio para impedir sua candidatura na disputa presidencial de 2018, que teve como resultado a vitória de Bolsonaro.

Confira a conversa entre Lula e Mino Carta:

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco
FALE COM A EQUIPE NAVIRAÍ NA NET
Envie sua sugestão, reclamação e denúncia.